Postagens

HELEU e o depois do amor

Imagem
CULPADOS OU INOCENTES?

O VENTO
O MOMENTO
O SENTIMENTO
O TORMENTO
EU, VOCÊ  E O DEPOIS DO NOSSO AMOR!

NÓS JAMAIS  DEVERÍAMOS  TER PERMITIDO  AQUELE VOO  NAQUELE VENTO
QUANTO MAIS AQUELE  SENTIMENTO NAQUELE  MOMENTO

ELE SERÁ SEMPRE O NOSSO DEPOIS...NOSSO TORMENTO!


João D'Olyveira

Imagem: Arquivo/googleimages Música: Marisa Monte/Depois

HELEU e o acaso do porquê do acaso

Imagem
D2 me disse de primeira, ao tratar da saudade, que "a procura da batida perfeita continua". Ninguém havia me apresentado Marcelo nem seus textos poéticos. Lembro-me de que descobri esse artista e suas composições em uma das minhas navegações noturnas, assim, sem compromisso. Todavia, como nunca acreditei em "acaso", porque sempre acreditei na existência divina dos casos, tenho que o tal encontro foi para me dizer, em poucas palavras e por necessidade momentânea, que o "Criador Mor", na sua perfeição, ao produzir o homem, propositalmente fez a cabeça acima do coração. Neste específico, foi somar minhas loucas deduções à de D2, ou seja, "que o sentimento não ultrapasse a razão", e confirmar o que já me era quase fato: primeiramente, ame-se; depois, ame. Simples assim, porque o simples resolve tudo. Então, como podemos ter observado, nada acontece por acaso, porque o todo da vida soma fragmentos de milagres. A quase cura dos nossos cegos olhos pode…

HELEU e a atitude

Imagem
Em nosso vasto universo de ações cotidianas, tantas dúvidas frente às decisões que aguardam nossas tomadas. Às vezes, a "verdade eloquente"; outras, a "mentira do bem". Um duplo entre sinceridade e falsidade humanas. Acabamos num jogo de sentimentos que nos atormenta. Não responde, porque confunde cada vez mais. São tantos porquês injustificáveis, todavia aceitos em nome do "bom relacionamento". 

Tudo bem, mas e aí? Iniciar ou encerrar algo, um relacionamento por exemplo? Dizer a que veio e o que quer ou calar-se para não magoar alguém? Deixar um determinado ambiente ou apropriar-se dele, em nome do "falso poder" terreno ou divino? Declarar-se ou aceitar a declaração alheia? Dizer "te amo" ou "me esqueça"? Largar quase tudo para ser alguém feliz com quase nada ou ter quase tudo e não se ter harmonia no "lar doce lar", ainda que se esteja bem servido? Somar, dividir, multiplicar ou subtrair, qual a melhor conta ou o m…

HELEU e a prioridade

Imagem
O que eu quero e estabeleço como prioridade versus o que os outros desejam e necessitam de mim neste momento. Este pensar resulta em honestidade própria, para uso coletivo. Neste ínterim, parafraseando um poema musical de Vander Lee, sei apenas que estou relendo minha lida, minha alma, meus amores. Estou revendo minha vida, minha luta, meus valores. Estou podando meu jardim...cuidando bem de mim!


João D'Olyveira




Imagem: Homem esculpindo-se a si mesmo, do artista uruguaio Yandi Luzardo, inspirada no princípio da evolução consciente proposto pela logosofia.

HELEU e a tarde de domingo

Imagem
Não posso dizer que foi apenas mais um fim de tarde de domingo. Não... Aquele final de tarde de domingo foi muito diferente de tantos outros por mim vividos ou experimentados. A diferença foi tripla: tempo, espaço e personagens. Sem me esquecer, é claro, da posição do narrador-personagem. 

No soprar de uma brisa leve, uma prazerosa memória pediu passagem. Aos poucos foi batendo uma "baita" vontade de ter você comigo. Assim, bem agarradinho, como aqueles bonequinhos da década de 80. Umbigo com umbigo no horizonte. Ah...esse nosso sempre amor amigo! 
Na tela aérea, um pincel divino alaranjou o céu, dando um tom "quase" melancólico à narrativa vivida. Todavia, nenhum desencanto. Em destaque, um velho relógio fabril me olhava fixamente. Ele, esse danado de ponteiros gigantes, registrou cada segundo do meu primeiro pensamento, assim como das minhas revelações mais internas e tão íntimas sobre nós. Cada gesto, cada movimento, cada fragmento daquela plenitude consumada.

No c…

HELEU e o amor covarde

Imagem
COVA QUE ARDE
Covarde  não é quem omite o amor, mas aquele que finge amar.



João D'Olyveira


Imagem:    https://images.google.com/      

HELEU e a presença do outro em nossa vida

Imagem
A presença do "outro" em nossa vida, um assunto a se pensar seriamente, porque "sozinho" nada somos. No cotidiano desta nossa vida terrena, podemos observar que algumas pessoas sempre recorrem a "outros" para as mais diversas ações. Diferentemente desses, porém, outras fogem, intimidam-se, encavernam-se. Há, ainda, aquelas que, além dessas ações de fuga, por motivos diversos, agridem a tantos outros, apresentando-se como criaturas independentes, fazendo de outros "personae non gratae". Muitas vezes, essas agressões são direcionadas a "outros" a quem elas deveriam ser eternamente agradecidas, pessoas que tanto fizeram, fazem e farão para que elas tenham uma vida mais digna. É triste quando isso ocorre...muito triste!

No universo da comunicação, deparamo-nos com expressões até consideradas simples, isto no tocante à linguagem; todavia, intensas em seus usos, nos mais diversos contextos. Como exemplo dessas expressões, temos: "Não pre…

HELEU e a solidão

Imagem
Sozinho,  ouvindo "Sozinho",  vou amando você 
em meus pensamentos.  Às vezes,  não nego,  sinto "peninha" de mim;  mas,
mesmo assim,  cuido,  a distância,  de quem eu mais desejo: VOCÊ!

JOÃO D'OLYVEIRA

Imagem: https://images.google.com/

HELEU e a fé

Imagem
FÉ E PÉ NA ESTRADA 
Se a dúvida o assaltar, 

se a tristeza bater à sua porta, 

se a calúnia o ferir, 

se você se sentir injustiçado,  mesmo assim,  erga a cabeça corajosamente e 

contemple um céu iluminado e tranquilo. 
Agora, 

se o seu céu insistir 

em se apresentar recoberto de nuvens 

não tão agradáveis, 

saiba que essas nuvens poderão passar, 

o céu voltar a se abrir, e o sol a brilhar.
Todavia, 

isso somente acontecerá 

se você  exercitar a sua fé, 

que é estabelecer um íntimo diálogo 

com o Universo Criador. 

E sem fórmulas, 

tenha-o como o seu  melhor amigo.
Siga em frente e persista, 

pois somente assim 

as "nuvens  negativas" da sua existência 

também hão de passar,  para o  desejado sol da felicidade voltar a brilhar.
Diga "amém" e prepare-se para receber 

suas  merecidas bênçãos. 

Tudo já está lhe sendo encaminhado  pelo Criador.
(Adaptação livre e fragmentada de Minutos de Sabedoria, de C. T. Pastorino, p.143, porJoão D'Olyveira)

HELEU e o último telefonema

Imagem
ALÔ, JONAS!

- Jonas, você está bem?
- Fique tranquilo, estou bem!
- Não é melhor você voltar pra casa? Estou aqui, esperando por você...
- Estou bem por aqui. Daqui a pouco as coisas passam, e a gente vai se encontrar. É só uma questão de tempo...
- Eu sei bem disso, mas você jamais passará, Jonas!
- O senhor também não...
- Fico feliz com esse seu carinho. Te amo de montão, ouviu?
- Ouvi, meu amigão! Te amo também!
- Se precisar estarei por aqui; mas, se preciso for, estarei por aí rs
- Tenho certeza disso!
- Cuide-se, Jonas!
- Cuide-se o senhor também! 
- Com Deus...
- Com Deus... Saudade...

Aquele telefonema foi o último de suas vidas terrenas. Jonas não havia revelado ao pai o seu real estado de saúde. A causa da morte física foi infecção generalizada, cinco dias após aquela curta conversa. No dia do telefonema, Jonas estava concluindo a terceira semana de agravamento da doença. E tudo sozinho, calado, porque assim havia desejado. Justamente naquele dia apresentou melhora, talvez para poder se d…

HELEU e a outra estação

Imagem
google.images

OUTRA ESTAÇÃO

Era uma estranha tarde de um domingo de outono. Olhava fixamente para aquela avenida deserta. Não havia motores nem transeuntes. As árvores pausavam em descanso. Até os pássaros, naquele momento, desistiram de bater as asas. Invertendo as posições, possivelmente estaria sozinho no edifício onde moro. Talvez a única janela aberta fosse a minha. Na janela, um "eu" em busca de um "nós". Entre nós, no horizonte do meu olhar, um trem de carga deu sinal de vida. A buzina do trem e o tocar do sinaleiro interromperam o silêncio que insistia em se alongar. Despertei-me e tudo voltou ao anormal: o trem, os carros, as pessoas, os tais transeuntes. Afinal, normal para mim é o silêncio, o vazio, o oco.
Não tive dúvidas. Dei as costas para a avenida, fechei a janela e carrilhei-me sobre o tapete. Não pertencia àquela realidade que estava para além da minha janela. O aquém agora era o que me importava. A minha realidade era outra, uma suprarrealidade de…

HELEU e a virgindade

Imagem
Na minha primeira vez, eu era apenas um moleque curioso e apaixonado. Por esta razão, acreditei fielmente naquela jovem profissional, que me fez protagonista de uma inesquecível descoberta, tão intensa e prazerosa. Lembro-me, em detalhes, do primeiro toque, do corpo em febre, dos lábios sobre os lábios, dos lábios delas sobre minhas vergonhas e dos meus sobre as vergonhas dela. Uma suave e perfumada melodia produzida por nossos órgãos sexuais: nossos concavo e convexo. O melhor de tudo é que nada se fez pela brutal força física, porque os dois buscavam a satisfação. O prazer, sim, este era intenso. E tudo isso me ensinou muito: nada forçado é bom!
O carinho foi recíproco, como deveria ter sido. O depois foi bom. E...depois desse e de outros encontros vieram as namoradinhas. Sentia-me um veterano. Pura ilusão! O tempo nos prova que cada novo encontro será sempre um novo encontro. O que me incomoda mesmo é ver algumas pessoas colocarem sexo em um único recipiente, como coisa má. Sexo é b…

HELEU e a paixão

Imagem
google/image

A viagem está sendo boa; a companhia, ótima! Tudo está conforme o não planejado. Por exemplo: havia muito tempo que não andava de mãos dadas pelos passeios públicos. Não nego que achei estranho, porém, também não nego que gostei dessa nossa atitude desmensurada. Talvez seja porque... Talvez, não! É fato: os meus "amores" têm sido mais de escortina, o que me impede de expô-los como fato comum do cotidiano.
Ontem demos uma literalmente  "de turistas", com ritual guiado e tudo mais. À noite, curtimos  com os amigos, até altas horas, no bar do hotel. Depois, cada qual pro seu próprio quarto. Hoje de manhã, durante o café, cheguei a gargalhar muito, trocando causos escolares e outros. Que me lembre, meu último gargalho ocorreu no final dos anos 90. É... está lá, perdido numa fotografia, a qual não sei por que ainda mantenho no velho álbum.

Café tomado, um  prazeroso passeio ao horto. Diferentemente do dia anterior, fomos apenas nós dois. Os amigos decidiram…

HELEU e o coração monitorado

Imagem
I
Nesta manhã tomei um banho demorado. Por longos minutos, até achei que estava sendo meu último banho terreno. Lembrei-me da expressão "vira essa boca pra lá" e segui o caminho das águas. Ao cair da água morna sobre meu corpo, pensava distantemente da realidade em que hoje vivo. Nada do meu presente se fez presente naquele presente "in box". Sem um esforço qualquer, busquei na minha infância os meus mais íntimos momentos de felicidade. O real era que, sob aquele pensar, não rolou uma simples busca, mas um significativo processo de recuperação alimentar "almística". É isto mesmo:"recuperação alimentar almística". Afinal, estarei sempre seguro de que as coisas boas da minha infância me alimentam nessas horas. Elas sempre me foram e serão meus bálsamos. Bem, vamos adiante! Enquanto me banhava e deixava jorrar meu pensamento pueril, concomitantemente, devolvia-me o direito de resgatar frações perdidas da minha felicidade. 
De repente, duas mãos mol…

HELEU e o tempo pedido

Imagem
google.images
A todo tempo estou solicitando um tempo ao tempo que passa. O tempo, atencioso, sempre me concede o tempo pedido. Todavia, independentemente do meu tempo vivido, o tempo somado ao meu tempo ainda me é um mistério. Por que o tempo solicitado me é concedido? Sem resposta até o tempo presente. Enquanto o tempo passa, ganhando conjugações, Machado sussurra em meu ouvido:"O tempo caleja a sensibilidade". 
João D'Olyveira


HELEU e os amores eternos

Imagem
TUDO TÃO SIMPLES


É tudo tão simples: algumas pessoas entram em nossas vidas apenas para nos proporcionarem memórias maravilhosas. São nossos amores eternos!



João D'Olyveira

HELEU e o acordar do coma

Imagem
images/google

"Hoje eu vou sair
Trazer pra vista a luz
Pra eu poder escrever
O que não se traduz
Pra me fazer sentir
Pra eu me banhar de vento
Pra eu deixar escapar
O que sobra aqui dentro"

(Lucas Silveira)

Sempre busquei alguém para comigo estar e participar ativamente da  minha vida. Amigos e amores. Um ou outro; ou os dois. Para estar bem, preciso de "gente boa" do meu lado. Assim, quando não é das minhas, dispenso com classe, sem medo de me enganar. Já, quando sinto que não me será "boa", nem me socializo para as apresentações. Afinal, é sempre melhor poupar o nosso tempo, que nos é tão precioso. E esse tempo tem sido demais de honesto comigo. Ele sempre me responde a contento, sem pestanejar. Sou eu mesmo quem, às vezes, deixo o tempo passar em vão e...em vãos.

Sobre meus gostos? Gosto de conversar assuntos diversos, discutir atualidades, falar e fazer arte: teatro, música, cinema, literatura. No sentimental? Gosto de carinho, de carícias, de beijo, de sexo. Go…